O romance brasileiro- Identidade Nacional e o Indianismo na Literatura.

Foto: TV Globo

Após a Independência do Brasil (1822), uma seguinte dúvida pairaria no ar: o que é ser brasileiro? o que é o Brasil? O romance, ao surgir dentro desse contexto, toma para si o importante compromisso de estabelecer a identidade, língua e a cultura brasileira. É chegada a hora de “redescobrir” o país através de uma literatura independente.

O principal objetivo dos romancistas era a criação de um projeto de construção de uma cultura autônoma. Esse projeto, no entanto, exigia dos escritores da época um reconhecimento da identidade da nossa própria gente, da cultura e tradições que já se encontravam estabelecidas. Ou seja, tudo que constitui o ser brasileiro, seria objeto de valorização na arte literária.

O romance voltou-se para os seguintes espaços: a selva, o campo e a cidade.

É dentro dessa visão do espaço nacional que, respectivamente, surge o romance indianista e o romance regional com enfoque na vida rural e urbana. A maior voz da literatura romântica é José de Alencar. O escritor de O guarani, que é uma obra histórico-indianista, destacou-se também nos aspectos romance regional (O gaúcho) e no romance urbano com a obra Senhora.

O herói Nacional está na Mata.

Se do outro lado, no continente europeu, podemos dizer que o cavaleiro medieval era idealizado na literatura romântica, aqui no Brasil, os escritores viram na personagem indígena como único e legítimo representante da América. No entanto, não caberia ao negro, pois esse era visto como mão de obra escravizada, nem ao branco, visto que esse se identificava como colonizador.


Autores e Obras do Indianismo

José de Alencar (1829-1877) foi o principal romancista brasileiro da fase romântica. Autor das principais realizações de obras indianistas em prosa na nossa literatura são:

Iracema (1865), O guarani (1857) e Ubirajara (1874).

Antônio Gonçalves Dias (1823-1864), grande nome do romantismo brasileiro e o maior na poesia.

I-Juca Pirama (1851), Marabá ( 1851), Canção de Exílio (1843) e Seus olhos.

José Basílio da Gama (1741-1795) foi um poeta luso-brasileiro e autor do poema clássico O Uruguai, de 1769.

2 comentários em “O romance brasileiro- Identidade Nacional e o Indianismo na Literatura.

  1. Adorei esse post, pois nos direciona a filmes inerentes ao tema de aulas de literatura, ainda mais quando não temos acervos em nossa biblioteca física. Só em plataformas digitais.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s