CULTURA DIGITAL E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA- Preparados para o futuro?

É verdade que a educação a distância aliada à tecnologia está ganhando cada vez mais espaço no mundo moderno. Isso é incrível! mas se pararmos para pensar, isso não é algo novo, não. Estamos o tempo todo conectados, interagindo, nos informando, conhecendo novos amigos e, inclusive, novos amores. Isso nos faz lembrar de um trecho de um belíssimo poema da Cecília Meireles “De longe te hei de amar – da tranquila distância em que o amor é saudade e o desejo, constância.”

Mas a nossa pauta de hoje não estará relacionada a ideia da distância poética amorosa da Cecília Meireles, e sim das possibilidades do avanço da internet que nos permitiram repensar a educação dos novos tempos.

Desde a primeira geração da educação a distância, que utilizava o ensino por correspondência, até os nossos dias, essa modalidade tem se apropriado de tecnologias que tomam possível a construção do conhecimento, apesar da distância física. Alguns estudiosos costumam dizer que vivemos numa quarta geração, embora alguns já falem em quinta e numa possível sexta, cuja principal característica são as Tecnologias da Informação e Comunicação, as chamadas TICs.

Inovadoras pela interatividade e possibilidade de sincronia, as TICs revolucionaram a educação e a forma como vemos a educação a distância, justamente porque a distância, que é a principal característica dessa modalidade, está cada vez mais superada.

É, até agora vimos o quanto ela é importante para as nossas necessidades educacionais. É mais importante ainda para a formação dos nossos professores, pois eles ocuparão papéis importantíssimos na educação e não podem ignorar as ferramentas EAD, que são tendências até mesmo na educação presencial.

Visto que a educação é um direito que deve alcançar a todos e o Brasil é um país com uma extensa área geográfica, percebe-se neste ponto uma problemática, ou seja, como permitir o acesso à educação de brasileiros que não residem em cidades de grandes centros?

Diante dessa problemática, surge como resposta a modalidade de educação a distância. Modalidade esta em que o Art.80 da LDB9304/96 representou marco significativo para o desenvolvimento, regulação, avaliação e supervisão da EAD em todos os níveis da educação brasileira.

E também é importante lembrar que o citado artigo acima passou por três regulamentações, em que a primeira foi o Decreto nº 2.494 de 1998 (revogado), a segunda regulamentação foi o Decreto5.622/05 que trouxe em sua redação no que tange aos seus cinco capítulos, algumas disposições como: exigência de encontros presenciais para estágios, apresentação do TCC, atividades laboratoriais, se previstas no programa do curso (art.1), possibilidade de se oferecer EAD em qualquer nível educacional (art.2) e a validade dos diplomas EAD será nacional (art.5). Convém lembrar que a portaria mais recente sobre a temática é a 1134/2016 e por fim, a terceira e mais recente regulamentação do Art.80 é o Decreto 9.057/17.

CULTURA DIGITAL

A cultura digital na educação começou nos anos 70, na Conferência Nacional de Tecnologia Aplicada ao Ensino Superior, que aconteceu no Rio de Janeiro, 14 a 19 de junho de 1971. A partir de então, houve uma explosão de acontecimentos que influenciaram na difusão do uso de recursos tecnológicos direcionados ao ensino, primeiramente estabelecimento de políticas públicas que respaldassem o trabalho.

A transformação digital representa a nova Era, o tempo em que a educação digital era distanciada da nossa realidade, já passou. Hoje em dia, está presente nas áreas educacional, profissional, organizacional e mesmo de desenvolvimento pessoal.

O aluno, por exemplo, precisa estar sempre motivado. Conforme Almeida (2000, p. 79) é preciso criar um ambiente que favoreça a aprendizagem significativa ao aluno, “desperte a disposição para aprender (Ausubel apud Pozo, 1998), as informações precisam estar disponibilizadas de forma organizada e interessante”. É necessário que este aluno possa dominar a tecnologia do ambiente virtual, para que não desista e não se sinta incapaz de continuar. E para isso esses recursos precisam estar próximos dos que o mesmo já utiliza no seu dia a dia

Não há mais como discordar da importância do ensino a distância e da importância das TICs para a concretização desse processo. Essa interação, de forma humanizante, já faz parte do processo evolutivo da educação. Visto que o mesmo é interativo, há desafios impostos na implantação e desenvolvimento das TICs nas instituições de ensino na modalidade de Educação a Distância (EAD).

REFERÊNCIAS

SARAIVA, Terezinha. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO BRASIL: lições da história. INEP. Em Aberto, Brasília, ano 16, n.70, abr./jun. 1996. Disponível em . Acesso em: 01 nov. 2018.

SCATOLIM, Roberta Lucas et al. Legislação e tecnologias assistivas: aspectos que asseguram a acessibilidade dos portadores de deficiências. InFor, Inov. Form., Rev. NEaD-Unesp, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 227-248, 2016. Disponível em < file:///C:/Users/Akila%20Carvalho/Documents/334-1197-2-PB.pdf> . Acesso em 09 nov.2018.

https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/388

Um comentário em “CULTURA DIGITAL E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA- Preparados para o futuro?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s